junho 2020

Diferenças de gênero: o caminho a seguir

Por Serena Tittl

Voltar para Ideias

Diferenças de gênero: o caminho a seguir

junho 2020 Por Serena Tittl

Voltar para Ideias

 

Diferenças de gênero. Igualdade e viés de gênero. Diversidade no local de trabalho. Independentemente de suas posições individuais, esses tópicos são carregados de conotações pessoais e provocam uma infinidade de emoções. Mas por quê?

Diferenças de gênero. Igualdade e viés de gênero. Diversidade no local de trabalho.

Independentemente de suas posições individuais, esses tópicos são carregados de conotações pessoais e provocam uma infinidade de emoções.

Mas por quê?

Antes desta pesquisa, minha consciência das questões que envolviam gênero e diversidade nas negociações era amplamente anedótica. Trabalhei em equipes compostas unicamente por mulheres; trabalhei em equipes onde eu era a única mulher em um grupo de 45 pessoas; e trabalhei em equipes com uma variedade de gêneros, experiências e etnias. O que experimentei e posso ser inequívoca sobre isso, foi uma correlação entre resultados criativos e produtivos e uma maior diversidade na equipe.

Então, três aplausos para diversidade certo? Sim, mas também... vamos ser realistas por um momento. Porque, para ficar claro, essas equipes nem sempre eram as mais fáceis de fazer parte. De fato, elas podem ser incrivelmente desafiadoras às vezes, exigindo um equilíbrio da ampla gama de ideias e contribuições. Mas, apesar - ou por causa - desse desafio, elas produziram mais resultados positivos.

Como deixei claro, essa é minha experiência anedótica e se aprendi alguma coisa em minha carreira, é que o viés egocêntrico - indivíduos que superestimam o impacto de sua própria experiência ao analisar uma perspectiva mais ampla - deve ser visto com cautela. Portanto, em vez de confiar inteiramente em minha própria experiência, abordei essa questão de gênero e negociação como faria em qualquer negociação, pesquisando os dados e estudos disponíveis. Foi frustrante descobrir rapidamente como pouca pesquisa foi realizada sobre negociação, muito menos no que se refere a gênero e diversidade. As pesquisas existentes deixam o pesquisador com mais perguntas do que respostas.

Por causa disso, independentemente de suas opiniões pessoais sobre o assunto e / ou se você está ciente de outras descobertas e estudos, esta pesquisa apresenta uma verificação do pulso global nas atitudes e comportamentos que existem atualmente. Estar ciente de nossos próprios preconceitos pessoais é o primeiro passo para poder digerir essas informações como uma base de dados. Não é certo nem errado, nem julgador ou condenador. Em vez disso, fornece dados muito necessários que podemos aproveitar para melhorar. O que quero dizer é o seguinte: adotar uma abordagem de copo meio cheio ou copo meio vazio para esta pesquisa perde o ponto de que o copo é totalmente recarregável. E como podemos encher o copo se não sabemos onde fica atualmente a linha de água?

Para mim, os aprendizados e atitudes revelados neste estudo lembram paralelos com os desafios que experimentei pessoalmente, nos quais fui julgada como uma negociadora direta e "dura". Embora as conclusões ecoem um sentimento semelhante, é importante refletir que esta pesquisa não é um destino, mas uma etapa importante para identificar onde está o nível da água hoje, em todo o coletivo.

Como este é um ponto de partida, cabe a todos nós levar adiante esse impulso. Esta pesquisa mediu as respostas com base no que as pessoas dizem e pensam de si mesmas, mas ainda há oportunidade de quantificar as diferenças de gênero e diversidade por meio da observação. Palavras pintam uma imagem, mas comportamentos muitas vezes pintam outra. Aqui está um exemplo: a pesquisa citou: "Dos homens que entrevistamos, quase todos acharam táticas antigas de bater com a mão na mesa, gritar ou adotar extremos como inapropriadas" - mas esses comportamentos ainda estão acontecendo. Gostaria de ver mais pesquisas realizadas sobre quando, onde e como esses comportamentos ocorrem.

Eles estão ocorrendo em negociações com pouca ou nenhuma diversidade (de gênero ou pensamento) na sala? Além disso, quais configurações toleram e aceitam esse comportamento, apesar de serem consideradas inadequadas, e quais configurações não toleram o comportamento inadequado? Se os comportamentos agirem como canários em uma mina de carvão (fala-se que algo é o canário na mina de carvão, quando esse algo parece indicar a chegada de problemas) , capturar mais informações ao seu redor pode ser uma ferramenta poderosa na identificação de sinais para os problemas profundamente enraizados que sustentam os desafios da diversidade e do gênero nas negociações.

Nos referimos frequentemente ao desconforto nas negociações, conforme destacado na pesquisa. Portanto, é apropriado abordarmos nosso próprio nível de conforto com as informações nele reveladas. Você está confortável com as descobertas desta pesquisa? Se está, por quê? Se você não se sente confortável com as descobertas, desafie-se a se inclinar e perguntar por quê? Independentemente de você estar ou não confortável, continue a se aprofundar e se perguntar: por quê? Então pergunte por quê? E pergunte novamente. E de novo.

Nossa capacidade de perguntar por quê?, juntamente com dados quantificáveis de pesquisa, será nossa maior alavanca para manter um diálogo construtivo e muito necessário para impactar positivamente o caminho a seguir.

Se você estiver interessado em aprender mais sobre gênero e negociação, faça o download do nosso relatório completo abaixo.

Serena Tittl

Insira suas informações para fazer o download do relatório